segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ciência e Arte - Uma discussão sobre essa singular relação.

Líquido - Do Rizoma ao Devir

Curta-metragem de animação sobre a condição do homem a partir do pensamento pós-estruturalista francês.

A Tropicália

A Tropicália, Tropicalismo ou Movimento tropicalista foi um movimento cultural brasileiro que surgiu sob a influência das correntes artísticas de vanguarda e da cultura pop nacional e estrangeira (como o pop-rock e a concretismo); mesclou manifestações tradicionais da cultura brasileira a inovações estéticas radicais. Tinha também objetivos sociais e políticos, mas principalmente comportamentais, que encontraram eco em boa parte da sociedade, sob o regime militar, no final da década de 1960. O movimento manifestou-se principalmente na música (cujos maiores representantes foram Caetano Veloso, Torquato Neto, Gilberto Gil, Os Mutantes e Tom Zé); manifestações artísticas diversas, como as artes plásticas (destaque para a figura de Hélio Oiticica), o cinema (o movimento sofreu influências e influenciou o Cinema novo de Gláuber Rocha) e o teatro brasileiro (sobretudo nas peças anárquicas de José Celso Martinez Corrêa).
Um dos maiores exemplos do movimento tropicalista foi uma das canções de Caetano Veloso, denominada exatamente de "Tropicália".
O começo do Tropicalismo
O movimento surge da união de uma série de artistas baianos, no contexto do Festival de Música Popular Brasileira promovidos pela Rede Record, em São Paulo e Globo, no Rio de Janeiro.
Um momento crucial para a definição da Tropicália foi o Festival de Música Popular Brasileira, no qual Caetano Veloso interpretou "Alegria, Alegria" e Gilberto Gil, ao lado dos Mutantes, "Domingo no Parque". No ano seguinte, o festival foi integralmente considerado tropicalista (Tom Zé aí apresentou a canção "São Paulo"). No mesmo ano foi lançado o disco Tropicália ou panis et circensis, considerado quase como um manifesto do grupo.
Críticas
Embora marcante, o Tropicalismo era visto por seus adversários como um movimento vago e sem comprometimento político, comum à época em que diversos artistas lançaram canções abertamente críticas à ditadura. De fato, os artistas tropicalistas fazem questão de ressaltar que não estavam interessados em promover através de suas músicas referências temáticas a temas político-ideológicos: acreditavam que a experiência estética vale por si mesma e ela própria já é um instrumento de mudança social.
Durante a década de 1960, delinearam-se na música popular brasileira três grandes tendências:
· a primeira era composta por artistas que herdaram a experiência da Bossa Nova (ou seus próprios representantes), e compunham uma música que estabelecia relações com o samba e o jazz (grupo no qual pode-se inserir a figura de Chico Buarque);
· um segundo grupo reunido sob o título "Canção de Protesto", que em geral estava pouco interessado em discutir a música propriamente dita mas fazer da canção um instrumento de crítica política e social (neste grupo destaca-se a figura de Geraldo Vandré);
· e finalmente havia um terceiro grupo, especialmente dedicado a promover experimentações e inovações estéticas na música formado justamente pelos artistas tropicalistas.
Diversos artistas eram comuns a estas três correntes simultaneamente, mas o estilo dessas correntes eram distintos e tinham características próprias e delimitadas.
Dado o caráter repressivo do período, a intelectualidade da época (e principalmente determinadas fatias da juventude universitária ligadas ao movimento estudantil) tendiam a rejeitar a proposta tropicalista, considerando seus representantes alienados. Apenas décadas mais tarde, quando o movimento já havia se esvaziado, ele passou a ser efetivamente compreendido e deixou de ser tão menosprezado.
Nomes ligados à Tropicália
Os principais representantes do movimento foram:
· Caetano Veloso
· Capinam
· Gal Costa
· Gilberto Gil
· Glauber Rocha
· Guilherme Araújo
· Jorge Ben
· Jorge Mautner
· Júlio Medaglia
· Lanny Gordin
· Maria Bethânia
· Os Mutantes (Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee)
· Rogério Duarte
· Rogério Duprat
· Tom Zé
· Torquato Neto
· Waly Salomão
· Sérgio Sampaio

Ana Cristina Cesar - A Teus Pés

Gal Costa - Mamãe, coragem

Gal Costa canta "Mamãe, Coragem" numa homenagem a Torquato Neto no Fantástico em 1977. Entre os músicos: Jards Macalé e Wagner Tiso.

O Circo - Nara Leão (MÚSICA DE SIDNEY MILLER)


Geraldo Vandré - Canto Geral

Música do menestrel Geraldo Vandré... Para lembrar os anos de chumbo de um país em busca de identidade social.

Tributo a Geraldo Vandré

Das terras de benvirá, uma das músicas temáticas de Geraldo Vandré que retrata uma época, um sonho de se construir uma sociedade melhor.
Porém esse sonho se perde em meio à turbulência de um período obscuro da história recente do nosso país.
Das terras de benvirá marcou uma época, embora seja, atualmente, desconhecida de muitos brasileiros.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

O melhor pixador do MUNDO

Muto
An ambiguous animation painted on public walls
Made in Buenos Aires and Baden
Animation and editing by BLU
Assistant - Sibe
Music by Andrea Martignoni
Produced by Mercurio Film

http://www.blublu.org/
http://www.blublu.org/blog/

STOP MOTION grafite bomb pixo muro pixador grafiteiro tinta spray

Repentistas no Centro se São Paulo! Show!

Os Caras mandam muuito bem na Rua 15 de Novembro!!!!!!!!

Fome come - Palavra Cantada

Criança Não Trabalha - PALAVRA CANTADA - DVD Pé com Pé

Fome Come - no Auditório Ibirapuera - participação especial de Arnaldo Antunes.

Palavra Cantada - Sopa

Clipe produzido pela TV Cultura para o programa "Um Dia da Criança"

domingo, 4 de outubro de 2009

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails